Pesquisar este blog

quinta-feira, 28 de abril de 2016

28 de Abril Dia da Educação

O Dia da Educação é comemorado anualmente em 28 de abril.
A data serve para incentivar e conscientizar a população sobre a importância da educação, seja escolar, social ou familiar, para a construção de valores essenciais na vida em sociedade e do convívio saudável com outros indivíduos.
Muitas pessoas associam a palavra "educação" com o ambiente escolar, o que não deixa de ser correto, porém não deve ser apenas a escola o único instrumento importante de educação de uma criança ou jovem.
A família é a base da formação educacional de uma pessoa, os pais ou responsáveis devem estar atentos e participar da formação dos valores sociais, éticos e morais do indivíduo.
O dever do Estado é garantir condições para a formação educacional de todos os cidadãos, com qualidade e gratuitamente.
O Brasil ainda enfrenta graves problemas com a qualidade do ensino e educação, no entanto o número de analfabetos caiu bastante nos últimos dez anos, segundo dados do Ministério de Educação e Cultura - MEC.
No Brasil, a educação também é motivo de destaque no dia 25 de agosto, quando se comemora o Dia Nacional da Educação Infantil, a partir da Lei nº Lei 12.602/12, sancionada pela presidente Dilma Rousseff.

terça-feira, 19 de abril de 2016

Vem aí o 16° Enduro Placará dias 23 e 24 de Abril

O Placará em sua décima sexta edição vem para defender o título de maior evento de motos da Transamazônica é um dos maiores Enduros de Regularidade do Estado, e é fiscalizado pela Federação Paraense de Motociclismo-FEPAM.
Nos dias 23 e 24 de Abril o município receberá cerca de 4000 pessoas de toda a região Oeste do Pará, e aproximadamente 3000 Plaquenses se juntarão e farão a maior festa de som automotivo da região, o maior evento para os "Loucos" e para os "conscientes", onde pessoas de todas as classes sociais, se reunirão no canteiro central e passarão a noite com muito som e animação ao ronco dos motores.
É a maior festa do Município de Placas realizada pela equipe Pragas Race e Eventos liderada pelo amigo Leleu, e conta com o Apoio das Prefeituras de Placas e Uruará e do comercio de ambas as cidades, é o evento que atrai o maior numero de pessoas de outro municípios para a cidade de Placas.
No Sábado será a grande festa e a apresentação dos pilotos, no domingo será a largada dos Pilotos do 16° enduro de Regularidade, e a largada da grande novidade, este ano teremos a primeira trilha On e Off-Road do Placara, onde todos os motociclista poderão participar da trilha que vai de Placas a uruará. Portanto venham prevenidos para participar do Trilhão do Placará 2016 e se divertir muito durante o percurso.
Pitaco do Blogueiro:
Foto: Edson Azevedo, Fatos Regionais e Revista Manchetes
O Placará movimenta e fomenta a economia do Município no dia de sua realização, é o maior evento turístico do município, praticamente é o único dia em que todos os hotéis lotam, e é o dia que se vende mais alimentos e bebidas no município. Mas por parte das autoridades competentes, nunca foi mobilizado o setor de turismo para atuar, e preparar o município para tal evento com orientações e logística para atender toda essa demanda de pessoas, o setor de restaurantes e alimentação também é escasso, e na hora que acabam os alimentos quem comeu, comeu, que não comeu fica com fome. A cidade também nunca foi preparada para receber tal evento, pois as únicas autoridades que mais agem no dia do evento são as polícias Civil e Militar e a equipe da saúde.
Já conversei com autoridades do município e me falaram que essa "bagunça" não tem jeito, mas não vejo o Placará como uma "bagunça," vejo como uma oportunidade, um desafio. um evento que tem uma organização e logística invejável por parte dos organizadores da corrida e dos pilotos, tudo na sua hora e no seu local, largada impecável e conferencia de extrema confiança, mas por parte do município pouco é oferecido além de apoio financeiro e um pouco de logística da equipe do esporte que não entende patavinas nenhuma desse tipo de evento, e nem sabe o que fazer ao lidar com tanta gente.
Foto: Edson Azevedo, Fatos Regionais e Revista Manchetes
Em dezembro Placas teve a honra de receber o maior evento religioso já realizado nessa cidade, a inauguração da nova Igreja Congregação Cristã do Brasil, onde o município recebeu mais de 3000 mil pessoas de toda a região, e a logística empregada tornou o evento impecável, com ruas fechadas e sinalizadas, estacionamentos improvisados, e voluntários para organizar o transito da cidade e a distribuição da alimentação e hospedagem dos fiéis, todas pessoas do município de Placas, e "alguém" ou "alguns" poderiam ter aprendido alguma com isso, apesar de ser bem diferente lidar com evangélicos e com pilotos mas nada é impossível desde que se tenha vontade e organização.
É o dia que a cidade recebe alguns dos maiores empresários da região, pois muitos que praticam o Motociclismo são de altíssimo poder aquisitivo, assim como pessoas de todas as classes sociais que só vem para se divertir na maior rave a céu aberto da região e encontram uma transito caótico, uma cidade sem mão ou contra mão, sem sinalização, sem guardas de transito, mesmo que voluntários, sem quartos de hotel suficiente e com pouca alimentação. Coisas que se anotadas, e planejadas a longo prazo podem ser solucionadas mesmo que gradativamente, que leve alguns anos, e quem sabe no 20° Placará tenhamos algo que dá gosto de participar. Digo sempre que pra tudo tem jeito, menos pra morte, se esse evento morrer assim como outras áreas estão morrendo, o município tem muito a perder.
Não estou reclamando aqui da falta de atenção das autoridades locais com o evento, o evento é apoiado e não se pode reclamar disso, estou indignado com a falta de atenção das autoridades com a cidade no dia do evento, com o excesso de desorganização e descaso, com o retrato que as pessoas levam de Placas para outros municípios.
Apesar do desabafo, e de não concordar com a falta de atenção das autoridades sou fã de esportes motorizados, corro enduro, faço trilhas off road, e estarei participando da festa pela 16ª vez e da corrida pela 6ª vez, pois ano passado minha esposa sofreu um acidente e eu não pude participar.
Estarei lá pois prefiro andar com os loucos do que com os falsos. Os loucos me passam mais confiança e me sinto mais seguro com eles. 
Que venha o PLACARÁ 2016.




Foto: Edson Azevedo, Fatos Regionais e Revista Manchetes

Foto: Romário www.flashbaladas.com.br





sábado, 16 de abril de 2016

CRÔNICAS DO GILBERTO LEITE: PONTES OU CERCAS?

Acompanhando o momento da atual conjuntura política brasileira observamos muitos animos exaltados, pessoas criando um lado radical que muitas vezes a distancia do próximo, lado este que a faz rotular amigos por siglas partidárias, muitas pessoas comparam amigos, vizinho, parentes com golpistas, com corruptos, com bandidos, simplesmente por que a pessoa criou um lado em defender pessoas que ele não conhece e acaba se desentendendo com as pessoas que conhece.
Eu vejo isso com frequência em Placas minha cidade e em todos os lugares que conheço, vejo amigos discutindo e se afastando por causa da política, vejo pessoas torcendo para que governos não sejam bem sucedidos, pessoas reclamando de coisas que fazem bem ao coletivo mas que promovem  pessoas de lados opostos. Esses lados provocados principalmente por diferentes visões políticas são muros e cercas que construimos ao nosso redor, muros que nos afastam, que separam amigos, famílias e conhecidos. Muros da discórdia, muros da ambição, muros do poder, muros da insensibilidade, muros invisíveis, muros que não são muros mas que separam, muros que tiram direitos e impõem vantagens. Muros invisíveis, transparentes, inexistentes mas muitas vezes intransponíveis.
Sou defensor da criação e da construção de pontes, pontes que integram, pontes que agregam, pontes que aproximam, pontes que integram. No meu ponto de vista a política é a maior ponte entre a população e o acesso aos serviços públicos. Mas a grande maioria dos políticos criam muros na políticas, muros de poder, muros de ganancia, muros do continuísmo, muros estes que distanciam a população dos serviços públicos e da política, muros que os protegem e os cercam. Cabe a cada um de nós derrubar esse muro, e o caminho é um só, construindo pontes, e como construímos as pontes? Cobrando serviços públicos de qualidade, cobrando e lutando por melhorias em nosso país. Vale destacar que não devemos procurar melhorias em todas as áreas, na saúde, segurança, educação, lazer, cultura, entre vários outros direitos básicos e fundamentais para o nosso completo bem-estar. E a principal ponte para isso é a participação popular na política, é a cobrança ativas dos direitos e a disposição do nome para as disputas eleitorais, é sair da zona de conforto, é não se conformar em criar um lado, é lutar com veemência para que as coisas aconteçam, é ser humilde e saber perdoar, é colocar nossas amizades e conhecimentos pessoais e sociais acima da diferenças políticas e lutar num objetivo comum a todos, não a um grupo, uma pessoa ou apenas a nós mesmo.
Gilberto Leite

Deixo a meus leitores essa linda parábola, após a leitura completa vcs vão tirar a conclusão do que é melhor construir.

Pontes ou cercas?

Dois  irmãos  que  moravam  em  fazendas vizinhas, separadas apenas por um riacho,  entraram em conflito. Foi a primeira grande desavença em toda uma vida de trabalho lado a lado.
Mas  agora  tudo havia mudado. O que começou com um pequeno mal entendido,
finalmente  explodiu numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio.

Numa manhã, o irmão mais velho ouviu baterem à sua  porta.

"Estou  procurando  trabalho. Sou  carpinteiro. Talvez  você tenha algum serviço para mim."
 "Sim,  disse o fazendeiro. Claro! Vê aquela fazenda ali, além do riacho? É do  meu  vizinho.  Na realidade do meu irmão mais novo. Nós brigamos e não posso mais suportá-lo. Vê aquela pilha de madeira ali no celeiro? Pois use para construir uma cerca bem alta."
 "Acho  que entendo a situação, disse o carpinteiro. Mostre-me onde estão a pá e os pregos."

O irmão mais velho entregou o material e foi para a cidade.

O   homem ficou ali cortando, medindo, trabalhando o dia inteiro.

Quando o fazendeiro chegou, não acreditou no que viu: em vez de cerca, uma ponte  foi  construída ali, ligando as duas margens do riacho. Era um belo trabalho, mas o fazendeiro ficou  enfurecido e falou:
"Você  foi atrevido construindo essa ponte depois de tudo que lhe contei."

Mas as surpresas não pararam ai. Ao olhar novamente para a ponte viu o seu irmão  se aproximando de braços abertos. Por um instante permaneceu imóvel do seu  lado do rio.

O irmão mais novo então falou:
"Você realmente foi muito amigo construindo esta ponte mesmo depois do que eu lhe disse."

De  repente, num só impulso, o irmão mais velho correu na direção do outro e abraçaram-se,  chorando no meio da ponte.

O  carpinteiro que fez o trabalho, começou a fechar a sua caixa de ferramentas.
"Espere, fique conosco!  Tenho outros trabalhos para você."

E o  carpinteiro respondeu:
"Eu adoraria, mas tenho outras pontes a construir..."

Já  pensou como as coisas seriam mais fáceis se parássemos de construir cercas  e  muros  e  passássemos a construir pontes com nossos familiares, amigos, colegas do trabalho e  principalmente nossos  inimigos...

Muitas vezes desistimos de quem  amamos  por  causa  de  magoas  e mal entendidos.

Vamos deixar  isso de lado, ninguém é perfeito, mas alguém tem que dar o primeiro passo.

Construa pontes ao seu redor!

"O  manejar da vela não consiste em que se deixe o barco, simplesmente, ser  impulsionado  pelo  vento;  a  arte do marinheiro que tripula o barco veleiro  consiste,  pelo  contrário, em saber utilizar a força do vento  fazendo  que  oriente  o  barco  em  uma  determinada direção, em saber inclusive, muitas vezes, navegar contra o vento"
Viktor Emil Frankl

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Reinauguração do Hospital Municipal de Placas

População prestigia Reinauguração do Hospital Municipal de Placas
Na manhã desta Sexta feira dia 15 de Abril de 2016, foi realizada a reinauguração do Hospital Municipal de Placas, agora denominado Hospital Olívio Alves em homenagem justa e merecida à memória do veterano Olívio Alves antigo dono da propriedade onde hoje se encontra esta unidade de Saúde.
A reforma do Hospital Municipal de Placas foi um projeto apoiado pelo Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu - PDRSX, com recursos do PAC e do BNDES originários da Norte Energia S.A responsável pela construção da UHE Belo Monte.
A reforma foi proposta pela prefeitura Municipal através de seus representantes nas Câmaras Técnicas do Comitê Gestor do PDRS do Xingu (CGDEX), foi defendia, votada, aprovada e executada em duas etapas, já que o recurso liberado inicialmente não foi suficiente para toda a reforma, e foram alocados mais recursos e o Hospital foi completamente reformado e entregue ao município.
Prefeito e representante da PM21 cortando a fita da inauguração da Obra
A obra custou R$ 395.605,52 (Trezentos e noventa e cinco mil seiscentos e cinco reais e cinquenta e dois centavos) e foi Executada pela Empreiteira e Representação Galvão LTDA ME que entregou a obra para ser inaugurada com 06 meses de atraso, pois o cronograma da obra estava com inicio no dia 11/05/2015 e conclusão em 11/10/2015, mas o importante é que foi concluída e entregue, e será de grande utilidade para a população Plaquense e para os profissionais de saúde do município, que receberam um local estruturado e completamente reformado para oferecer um serviço de qualidade aos usuários da saúde Pública de Placas.
Pitaco do Blogueiro: Deixo aqui os meus sinceros parabéns a todos os que se empenharam para que essa obra fosse aprovada e concluída, sei que muitos se empenharam neste projeto, e essa é mais umas vitória do Povo de Placas, que é merecedor de um atendimento de qualidade na saúde. Pois grande parte da população é carente, e quando depende de atendimento hospitalar coloca suas vidas nas mãos dos profissionais da saúde do Município que procuram fazer sempre o melhor trabalho do atendimento, e encontrar profissionais qualificados e um ambiente hospitalar estruturado e equipado é tudo o que a população precisa para ter um atendimento de qualidade.

Vereadores, secretários funcionários públicos e populares prestigiam a inauguração


Prefeito entra com o pé direito no hospital recém inaugurado.

Eu e amigos, Fabiola, Juarez e Degmar na Reinauguração do Hospital Municipal.

Amigos Jailson, Beto Dantas, Juarez e Eu (Gilberto Leite) no Hospital recém inaugurado.

Placa da Reforma na frente do Hospital.

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Bandidos seguiram pela vicinal da cachoeira e levaram muitos reféns.

Após realizarem o Assalto os bandidos seguiram em direção a Itaituba em dois veículos, um Gol e uma Hilux, o bando carregou muitos reféns nos carros fazendo um escudo humado, mas um GU do Tático e policiais Militares fecharam a estrada de Itaituba obrigando os bandidos a retornarem para Rurópolis.
O bando rodou dentro da cidade de Rurópolis disparando muitos tiros e deixando a população desesperada.
Segundo informaram os moradores, os Bandidos seguiram pelo travessão da cachoeira e na primeira ponte e tocaram fogo no Gol, procurando assim impossibilitar a passagem dos policiais, e seguiram com os reféns apenas na Hilux.
Pitaco do Blogueiro: Conheço bem essa vicinal, pois já passei por lá várias vezes quando participei dos trilhões de motos, e a partir da cachoeira eles vão enfrentar uma estrada de Barro Vermelho e muito lisa, onde poucos veículos conseguem passar, a região é recheada de chácaras, e dá acesso ao travessão dos baianos por vários ramais, se seguirem pela esquerda podem adentrar na mata densa, mas a região é cercada por grandes pastagens e cacau, vamos torcer que esses bandidos sejam capturados assim como foram os do ultimo assalto ao Basa de Placas e de Uruará, que culminou na morte do Cearazinho, maior assaltante de bancos do norte do Brasil.
Veja abaixo algumas imagens da agencia e do assalto.








Bandidos fazem trincheira humana com reféns em frente ao Banco durante o Assalto.

Trincheira Humana. Foto Whatsapp
O Assalto realizado ao Bando da Amazônia de Rurópolis segue a modalidade novo cangaço, onde os assaltantes formam uma trincheira humana com os reféns em frente a agencia no momento em que realizam o Assalto, essa tática é utilizada para intimidar a polícia e tocar o terror na cidade.

Assalto ao BASA de Rurópolis

Segundo as primeira informações fornecidas pelas redes sociais por volta das 10:15 da manhã desta segunda feira dia 11 de Abril, bandidos fortemente armados realizaram um assalto cinematográfico na agencia do Banco da Amazônia de Ruropolis, o assalto foi realizado na mesma modalidade dos anteriores o novo Cangaço, onde o bando chega tocando o terror na cidade e ao adentrarem na agencia fazem uma trincheira humana com os reféns, durante o assalto fazem muitos disparos procurando assim intimidar a população e a polícia local.
Logo mais retorno com maiores informações.

Foto do Whatsapp

Foto do Whatsapp

quinta-feira, 7 de abril de 2016

07 de abril — Dia Mundial da Saúde

No dia 07 de abril comemora-se o Dia Mundial da Saúde, uma data criada com a finalidade de conscientizar a população a respeito dos vários aspectos que envolvem a saúde.

Muitas pessoas consideram-se saudáveis quando estão sem nenhuma doença, porém, a falta de enfermidades não significa saúde. Dizer que uma pessoa está saudável requer a análise de um conjunto de fatores, tais como a qualidade de vida e aspectos mentais e físicos.
Em 1946, a Organização Mundial de Saúde aprovou um conceito que visava ampliar a visão do mundo a respeito do que seria estar saudável. Ficou definido então que “a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”.


De acordo com esse conceito, percebemos que saúde não é um estado fácil de ser alcançado, uma vez que nem todas as pessoas conseguem viver sem tristezas, sem preocupações e interagindo com o restante da sociedade de maneira harmoniosa. A saúde deve ser vista como uma forma de total bem-estar, que é conseguido não só através do tratamento de doenças ou sua prevenção, mas sim através de qualidade de vida.
De acordo com a lei 8.080 de 1990, a saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. A lei também enfoca que, para ter saúde, alguns fatores são determinantes, tais como a alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o trabalho, a renda, a educação, a atividade física, o transporte, o lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais.
Percebe-se, portanto, que todos os fatores, por mais irrelevantes que possam parecer, afetam a vida de um indivíduo e, consequentemente, a sua saúde. O papel do Estado para garantir o bem-estar da população é fundamental, pois é ele o responsável por garantir a qualidade de vida de cada indivíduo.
No dia 07 de abril comemora-se o Dia Mundial da Saúde, data criada em 1948 pela Assembleia Mundial da Saúde que tem como objetivo conscientizar a população a respeito da qualidade de vida e dos diferentes fatores que afetam a saúde populacional. Essa data foi estabelecida para coincidir com a data de fundação da Organização Mundial da Saúde.
Todos os anos campanhas são realizadas a respeito de um tema diretamente relacionado com a saúde. Essas ações são importantes para que a população aprenda a se cuidar e informe-se sobre seus direitos quando o assunto é promoção da saúde.
É fundamental que, além de cuidarmos da nossa saúde, participemos da luta por melhorias em nosso país. Vale destacar que não devemos procurar melhorias apenas em hospitais, devemos lutar por mais segurança, educação, lazer, cultura, entre vários outros direitos básicos e fundamentais para o nosso completo bem-estar.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

União homologa Terra Indígena Cachoeira Seca

Foto Fabio Nascimento/GREENPEACE
O governo brasileiro encerrou hoje uma espera de 30 anos com a publicação, no Diário Oficial da União, da homologação da Terra Indígena Cachoeira Seca, dos índios Arara, no médio curso do rio Xingu, entre os municípios paraenses de Altamira, Placas e Uruará. O decreto era uma das principais condicionantes de Belo Monte, mas só veio 6 anos depois de iniciadas as obras da usina. As consequências dessa demora são sentidas duramente: a Cachoeira Seca é considerada a terra indígena mais invadida por madeireiros e com maior índice de desmatamento ilegal do país.
“O ato de homologação desse território, além de dívida histórica do Estado brasileiro para com os indígenas Arara, representa o único caminho para a sobrevivência desse grupo face às transformações brutais que Belo Monte acarretou. Sem a homologação e desintrusão da Terra Indígena Cachoeira Seca, a inviabilidade da hidrelétrica forçosamente teria de ser reconhecida”, afirma a procuradora Thais Santi, que acompanha a situação dos índios afetados pela usina.
Para o Ministério Público Federal, que já havia exigido a homologação por vias administrativas e judiciais, a publicação do decreto apenas começa a resolver o passivo socioambiental de Belo Monte. O próximo passo, necessariamente, é a desintrusão da área, termo técnico para retirada dos não-índios. Os ocupantes de boa fé, colonos e posseiros, devem ser reassentados pelo governo, enquanto os de má-fé,  madeireiros e grileiros, devem ser retirados por força policial.
A desintrusão também é condicionante de Belo Monte nunca cumprida e, para o MPF, a usina não pode ser considerada viável enquanto não houver usufruto exclusivo dos Arara sobre o território. Recentemente o MPF havia denunciado a situação da Cachoeira Seca à relatora da Organização das Nações Unidas para os direitos dos povos indígenas, Victoria Taulipa-Ruiz, que visitou a região atingida por Belo Monte.
A realidade é que a Funai e o Ministério da Justiça passaram por cima de projetos de colonização realizados pelo Incra a mais de 30 anos, e a desintrusão vai ser uma verdadeira guerra, pois existem famílias que ocupam essas áreas a mais de 30 anos e não foram respeitados os seus direitos. Esperamos que juntamente com retirada desse povo venha também, uma indenização justa, e a realocação para outras áreas onde possam trabalhar. Pois essas famílias estão pagando por um crime que não cometeram, estão sendo deslocadas de suas propriedades graças a devastação feita por grileiros e madeireiros.

terça-feira, 5 de abril de 2016

Placas: Feirantes se organizam para concluir feira após 14 anos de abandono pelo poder público

A construção da feira livre do município de Placas foi iniciada no ano de 2002, na gestão do Prefeito Daniel Capitani. A obra foi iniciada através de um convenio da prefeitura municipal com o governo do Estado.
Na época a associação dos feirantes utilizava o clube Otaviano Ferreira de Macedo como feira, o clube foi ocupado pelos feirantes que se organizaram em uma associação liderada pelo Saudoso Abilio Perussato e ocuparam o clube com o apoio da prefeitura municipal iniciando assim a primeira feira livre de Placas.
A obra foi iniciada e não foi concluída devido ao afastamento de Daniel Capitani da Prefeitura Municipal, e o restante do recurso não aplicado ficou na conta do convenio.
A feira tem 6 Box pra a comercialização de carne, frango e peixe, 22 Box para a comercialização de alimentos produzidos no município, 01 Lanchonete, Banheiros femininos e masculinos, e uma sala administrativa, praticamente a feira está 70% concluída, mas o descaso impera e os 30% restantes ainda esperam a conclusão.
O fato é que 14 anos já se passaram e a feira livre do município de Placas continua parada e inacabada, durante esse período já passaram três prefeitos pelo município de Placas e nenhum teve a iniciativa de concluir a feira do produtor, na verdade por abandono nas gestões passadas a feira livre do clube Otaviano de Macedo foi transformada em um conjunto de bares onde foram praticados vários crimes, e os poucos feirantes que tinham saíram do local.
Presidente da AFPP Sr. Aldimar e Vereador Idnei Pimentel
O atual prefeito demoliu o antigo clube Otaviano de Macedo, acabando assim com os bares, mas deixou a obra abandonada assim como os demais, e os feirantes começaram a ocupar o canteiro central da cidade de Placas, e sem o menor controle construiram barracas para vender os seu produtos, o que não fica nada bonito, mas são cidadões que estão buscando o sustento de suas famílias e ninguém se atreverá a tira-los de lá.
Diante desse quadro, o vereador Idinei Pimentel juntamente com Senhor Aldimar Chavier e o então Secretario de agricultura Neilson Farias, tomaram a iniciativa de reunir os feirantes e organiza-los em uma associação, a partir disso os representantes do feirantes fizeram um orçamento do valor do material para a conclusão da obra e procuraram apoio dos governos municipal, estadual e Federal para a conclusão da feira, mas o que receberam foi apenas promessas, e nada de concreto. Diante disso a Associação dos Feirantes e Produtores de Placas - AFPP, tomou a iniciativa de concluir a obra, e arrecadar o valor para comprar o material restante que custa em média R$ 60.000,00 (Sessenta mil reais).
Várias barracas no canteiro central enfeitam a frente da cidade
Para isso a AFPP está organizando uma Rifa de uma Geladeira, fogão, ventilador, Televisão e outros prêmios, vamos ajudar a associação dos feirantes a terminar a feira livre de Placas, o valor da Rifa custa apenas R$ 10,00 (dez reais).
Você empresário(a), agricultor(a), produtor(a), trabalhador(a) de qualquer área do comercio que tiver interesse em ajudar é só procurar o presidente da Associação Sr Aldimar e fazer alguma doação em dinheiro, ou prêmios para ajudar na rifa que será realizada 05 de Junho de 2016 às 17:00 horas 
em um domingo alegre que será realizado no Salão Paroquial João XXIII, vamos ajudar a construir esse patrimonio que é do povo e para o povo de Placas.
Deixo aqui o meu respeito, consideração e admiração a todos os que tomaram essa louvável iniciativa, e desde já me disponho a ajudar nessa maravilhosa iniciativa de recuperar esse patrimônio tão necessário para a população.