Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Banco da Amazônia abre concurso público para preencher 57 vagas imediadas

O Banco da Amazônia S.A. abriu edital n° 01/2015 de concurso público para preencher 57 vagas imediatas, além de formar cadastro reserva, em cargos de ensino médio e superior. A Fundação Cesgranrio é  a empresa responsável pelo concurso, que oferece oportunidades para polos do Banco situados nos estados do Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Roraima, Rondônia e Tocantins.
São distribuídas 56 vagas na função de Técnico Bancário, que exige certificado de conclusão de nível médio, com salário inicial de R$ 1.950,42, por jornada semanal de 30 horas; e 1 vaga para função de Técnico Científico na área de Medicina, com pós-graduação em Medicina do Trabalho e registro no CRM. O salário dos médicos será de R$ 2.357,84, por jornada de trabalho de 20 horas semanais.

Os aprovados e nomeados terão benefícios de programa de assistência médica; auxílio-alimentação no valor de R$ 1.003,16; auxílio creche; possibilidade de exercício de função gratificada, com acréscimo na remuneração de R$ 1.241,95; programa de promoções; participação nos lucros e possibilidade de participação em Plano de Previdência Complementar.

Os interessados poderão efetuar suas inscrições no período de 23 de julho a 17 de agosto de 2015, na página da Fundação Cesgranrio. A taxa de inscrição custa R$ 50,00 para o cargo de Técnico Bancário e R$ 65,00 para Técnico Científico.

A avaliação dos inscritos se dará unicamente através de prova objetiva, de conhecimentos básicos e específicos, que terá caráter eliminatório e classificatório. As provas serão realizadas provavelmente no dia 27 de setembro de 2015, nas cidades de Belém/PA, Boa Vista/RR, Cuiabá/MT, Macapá/AP, Manaus/AM, Palmas/TO, Porto Velho/RO, Rio Branco/AC, Santarém/PA e São Luís/MA, e

m locais e horários que serão comunicados a partir do dia 23 de setembro de 2015.

Os gabaritos preliminares das provas objetivas serão publicados pela Cesgranrio provavelmente no dia 29 de setembro de 2015.

O prazo de validade do concurso é de um ano, a contar da data de publicação do edital de homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período, a critério do Banco da Amazônia.
Para os concurseiros de Plantão é fundamental fazer o Curso de Conhecimentos Bancários 1 e 2, a Nova Era Informática Oferece dois pacotes de cursos de Conhecimentos Bancários e o Curso de Redação para concurso, cursos fundamentais para quem vai fazer essa prova. Maiores informações na Avenida Perimetral Sul, 94 Bairro Centro na Cidade de Placas estado do Pará, ou pelo fone e WhatsApp (93) 98123 4550.
Não perca tempo, faça logo a sua matricula e aproveite essa oportunidade única para ingressar no setor público.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Acidente Fatal na BR 163 km 131 entre caminhão e carreta.

Na madrugada desta segunda feira dia 27 de julho de 2015 por volta das 23:50 hs, na Rodovia Santarem/Cuiaba BR163 na altura do Km 131, um acidente fatal envolvendo uma carreta carregada de cerâmica e um caminhão boiadeiro levou a óbito o caminhoneiro Saulo Freitas da Silva de 23 anos que residia no Município de Rurópolis no Distrito de Divinópolis km 70, o acidente vitimou ainda o Motorista da Carreta Alexandre José Ferreira de Souza de 28 anos com ferimentos leves, e o passageiro do Caminhão boiadeiro que se feriu com mais gravidade e ficou algumas horas preso nas ferragens até a chegada do resgate que teve que serrar a Cabine do Caminhão para retirar as vítimas.
Vão abaixo algumas imagens do Acidente e do resgate.
Aviso: Imagens Fortes.















sábado, 25 de julho de 2015

Agua Mineral? Será? MPF vai analisar estudos da UFPA sobre a água vendida no Pará



O Ministério Público Federal abriu inquérito civil e solicitou à Universidade Federal do Pará (UFPA) cópias do estudo divulgado pela imprensa paraense que aponta que as águas engarrafadas comercializadas no estado não seriam próprias para o consumo. De acordo com o levantamento do laboratório de hidroquímica da UFPA, as sete empresas que comercializam água engarrafada no Pará não respeitam os níveis máximos de acidez recomendados pelo Ministério da Saúde.

O procurador da República Bruno Soares Valente requisitou ao laboratório cópias do levantamento para investigar a situação das empresas e do produto. O mesmo procurador atuou na investigação, também com base em estudo da UFPA, que apontou que as águas com rótulo de mineral vendidas no Pará não merecem a classificação. Desde 2010, o MPF tenta, com base nessa investigação, obter da Justiça Federal a proibição da rotulagem enganosa da água engarrafada.

O MPF pediu uma revisão nos rótulos das águas engarrafadas vendidas no estado do Pará com a classificação de água mineral. O Departamento Nacional de Produção Mineral, responsável por classificar e aprovar os rótulos, foi acusado de descumprir o Código das Águas Minerais ao permitir que as indústrias vendam água potável como se fosse mineral.

Pela lei, a água só é mineral quando possui características físico-químicas especiais e consequente ação medicamentosa. E as marcas de água industrializadas do Pará se enquadram na classificação de água potável de mesa, sem qualquer diferencial terapêutico. Agora, com os novos dados lançados pelo levantamento da UFPA, pode-se chegar a conclusão mesmo que são danosas para o consumo humano.

O processo contra o DNPM e as empresas que vendem água mineral tramita na 5a Vara Federal em Belém. A nova investigação não tem prazo para ser encerrada e pode resultar tanto em arquivamento quanto em atuação extrajudicial (recomendações e ajustes de conduta) ou judicial (processo na Justiça Federal)

Processo nº 0017302-65.2010.4.01.3900

sexta-feira, 24 de julho de 2015

ASSALTANTE LEVA BALAÇO DE HOMEM NÃO IDENTIFICADO EM URUARÁ

Bandido corajoso acabou levando a pior.
Nessa  noite de quinta-feira, 23, um criminoso armado com um revolver resolveu fazer um arrastam no comercio da Cidade de Uruará. 
O criminoso Carlos Henrique de 25 anos morador do km 190 de posse de um revolver calibre 38  com 03 munições, executou vários assaltos aos comerciantes na cidade de Uruará, mais o mesmo não esperava que apareceria alguém não identificado de posse também de uma arma de fogo e deferisse 6 tiros contra o mesmo vindo a acertar 02 tiros. Segundo informações o criminoso tinha também roubado uma moto Pop no dia 22 e em posse da Moto e uma arma foi executar seu ato criminoso.
O assaltante  levou 02 tiros de um homem não identificado depois de assalta 05 comercio na cidade no inicio da noite de ontem o criminoso acabou sendo ferido a bala e preso.
O assaltante foi ferido na coxa e no ombro foi encaminhado para o hospital municipal de Uruará onde passou por uma cirurgia e passa bem, onde lopo apos a liberação do hospital o criminoso ira direto para  a cadeia e será autuado em flagrante por roubo e porte ilegal de arma de fogo.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Policia Prende quadrilha de assaltantes de Banco no Interior do Pará

Polícia Civil impede assalto a banco após prender associação criminosa na zona rural de São Miguel do Guamá




A Polícia Civil prendeu, nesta terça-feira, 14, na zona rural de São Miguel do Guamá, nordeste paraense, seis integrantes de uma associação criminosa de assaltantes de banco que planejava atacar uma agência bancária, no município de São Domingos do Capim, nesta quarta-feira, na modalidade de roubo conhecida como "vapor" ou "novo cangaço". Com eles, oito armas de fogo, entre metralhadoras, fuzis, escopetas e pistolas, além de bananas de dinamite, dezenas de munições, coletes à prova de balas e fardamentos militares, foram apreendidos. 
Á esquerda, "Cuia" morreu. Os demais foram presos
Á esquerda, "Cuia" morreu. Os demais foram presos
Outro integrante do grupo reagiu a tiros, no momento em que seria preso e acabou baleado, morrendo pouco depois. Os presos e o material apreendido foram conduzidos para a sede da Delegacia-Geral, em Belém, onde foi realizada uma entrevista coletiva a jornalistas para apresentar os resultados da operação policial sob coordenação da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), e que contou com policiais civis do Núcleo de Inteligência Policial (NIP) e do Grupo de Pronto-Emprego (GPE) da Polícia Civil.
Participaram da entrevista coletiva o secretário de Estado de Segurança Pública, Jeannot Jansen; o delegado-geral Rilmar Firmino de Sousa; o delegado Evandro Araújo, da DRCO, e o coronel Leão Braga, comandante de Missões Especiais da PM. De acordo com o delegado Evandro, a operação policial recebeu o nome de "Tacacá" em alusão ao apelido "Cuia" do assaltante Lindoandro Visqueira Martins, foragido da Justiça dos Estados do Pará, São Paulo, Mato Grosso e Bahia, por envolvimento em assaltos a bancos. "Cuia" fugiu do presídio federal em Catanduvas, no Parará, no ano passado. O grupo era investigado desde dezembro passado. Eles são suspeitos de envolvimento em roubo a banco registrado em Pacajá; em furto com arrombamento a banco em Tucuruí, e na tentativa de explosão a banco em Santa Maria do Pará. Durante as investigações, os policiais levaram o nome de Maria Raimunda Silva Teixeira, de apelido "Tita", esposa de "Cuia". "Ele tem um sítio, em São Miguel do Guamá, em que o grupo se reunia para planejar assaltos", detalha Evandro Araújo, ao salientar que a mulher já foi presa por tráfico de drogas e estava como foragida da Justiça do Pará.
Entrevista coletiva
Entrevista coletiva
Assim, foi montada a operação para prender "Cuia", a esposa e demais membros do grupo. Ao todo, mais de 20 policiais civis, do GPE, DRCO, NIP e apoio do delegado Augusto Potiguar, de Abaetetuba, participaram da operação, iniciada na madrugada desta terça-feira. Os policiais se posicionaram às proximidades de um ramal, onde os bandidos guardavam os mantimentos que seriam usados para mantê-los no mato por cerca de cinco dias. Ali, explica o delegado, as equipes ficaram em campana até, por volta de 2 horas, quando dois integrantes do grupo saíram do mato e foram surpreendidos pelos policiais.
Após a prisão da dupla, os policiais civis continuaram perto do ramal, por onde, segundo informações levantadas na investigação, "Cuia" sairia no início da manhã. Já, por volta de 8 horas, os policiais avistaram dois carros saindo do ramal. Foi nesse momento que os veículos foram abordados e os condutores receberam ordem para parar. Porém, "Cuia", que dirigia um dos veículos, não obedeceu a ordem e acelerou, colidindo com a traseira de uma das viaturas policiais descaracterizadas. Em seguida, o acusado sacou uma arma de fogo e passou a atirar em direção aos policiais civis, que revidaram e atingiram o assaltante. "Cuia" ainda chegou a ser socorrido e colocado em uma ambulância, mas morreu enquanto era atendido. Ele era piauiense, mas morava em Mato Grosso. Já esteve preso na cidade de Cuiabá e no Pará.
Apreensões
Apreensões
No sítio, foram apreendidas as seguintes armas: três escopetas calibre 12; um fuzil Mosquefal 7,63; um fuzil calibre ponto 30; uma metralhadora calibre ponto 45, e duas pistolas de calibres ponto 40 e ponto 380. Ainda, em poder do grupo, foram apreendidas 42 explosivos, tipo banana de dinamite; fardas militares semelhantes às das forças armadas; um colete à prova de balas, capuzes de segurança do tipo balaclava, e estopim de detonação de explosivo.
Além de Maria Raimunda, foram presos Marcela Uchoa Campos Diniz, responsável em levar os alimentos e remédios para o grupo criminoso no sítio; Renato da Costa Muniz, que tem mandado de prisão e estava foragido; Marcos Mota da Silva, que já responde na Justiça por roubo; o maranhense Nailton Pereira de Oliveira, de apelido "Dente de Sabre", que está envolvido em três ocorrências de roubos a banco na cidade de Baião no Pará, e Genivaldo de Jesus Teixeira, irmão de "Tita" e cunhado de "Cuia". Os presos foram encaminhados para a DRCO, para prestar depoimento, e depois transferidos ao Sistema Penitenciário na Região Metropolitana de Belém. Eles vão responder pelos crimes de associação criminosa, posse e porte ilegal de armas de fogo de uso restrito, e posse ilegal de explosivos. A presa Maria Raimunda usava um documento de identidade falso e por isso vai responder também por uso de documento falso. 
Presos
Presos
PRISÕES De acordo com o delegado-geral Rilmar Firmino, só este ano, 42 integrantes de grupo de assaltantes de banco foram presos no Pará. Ele explica que a repressão aos grupo de assaltantes de banco no Pará conta com pronta responsa do Sistema Integrado de Segurança Pública do Pará. A exemplo do assalto a banco registrado em Trairão, na sexta-feira passada, quando em poucas horas, um helicóptero do Grupamento Aéreo e policiais civis e militares do Comando de Operações Especiais (COE) e da DRCO de Belém já estavam na cidade. Além disso, o delegado-geral destaca a mobilização dos efetivos de policiais dos municípios vizinhos que se empenham na busca aos assaltantes.
"A mobilidade é um fator muito importante. Em menos de dois dias após o assalto, a gente conseguiu identificar todos os integrantes do grupo", destaca. Ele ressalta que todos os casos de assaltos a bancos registrados que a Polícia não consegue evitar são desvendados. Ainda, conforme Firmino, o Sistema de Segurança Pública mantém a operação denominada "Reprerban" (Repressão e Prevenção de Roubos a Bancos), que tem ajudado a diminuir muito as ocorrências de roubos a bancos no Pará.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Assembleia de Deus confrateniza seus 39 anos de existência no munícipio de Placas, Pará

Assembleia de Deus comemorou neste final de semana 39 de de sua fundação em Placas, o evento recebeu caravanas de vários municípios da Região, e na Ocasião foi realizada a 12ª Edição do COADESPA - CONGRESSO DOS CÍRCULOS DE ORAÇÃO.

Veja abaixo várias imagens postadas pelo Blogueiro Denis Araújo que participou do Evento juntamente com a caravana de Rurópolis. 

Templo da Igreja Assembleia de Deus em Placas


Cantor e Pastor Marcelo Santos
Pastor Gilberto Marques

Culto sábado pela manhã




Conjunto de Jovens

Coreografia sábado a noite




Almoço sábado

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Relatório do UNICEF apresenta avanços e desafios relacionados à infância e à adolescência nos 25 anos do ECA

Análise aponta avanços em áreas de educação, saúde e proteção
Para o UNICEF, é necessário agora alcançar os mais excluídos e pôr um fim aos assassinatos sistemáticos de adolescentes
Brasília, 13 de julho de 2015 – No dia em que o Estatuto da Criança e do Adolescente completa 25 anos, o UNICEF lançou, em Brasília, o relatório #ECA25anos – Avanços e Desafios para a Infância e a Adolescência. A publicação apresenta uma análise de indicadores relacionados à infância e à adolescência desde a aprovação do ECA, em 1990.
De acordo com o UNICEF, o ECA criou bases sólidas que asseguraram o progresso nos indicadores da infância e adolescência. Nesses 25 anos, o País implementou políticas e programas que garantiram a sobrevivência e o desenvolvimento de milhões de meninos e meninas brasileiros.
Entre os avanços, estão a queda da mortalidade infantil e na infância e o progresso em todos os indicadores na área de educação, a redução do trabalho infantil e a redução do sub-registro de nascimento.
Na área de educação, por exemplo, o Brasil conseguiu garantir o acesso a 93% de suas crianças e adolescentes no ensino fundamental. De 1990 a 2013, o percentual de crianças e adolescentes em idade obrigatória fora da escola caiu 64%, passando de 19,6% para 7% (Pnad).
Outro indicador positivo na área da educação é a queda na taxa média de analfabetismo entre brasileiros de 10 a 18 anos de idade. Essa taxa caiu 88,8%, passando de 12,5%, em 1990, para 1,4%, em 2013. A queda foi ainda mais significativa entre os adolescentes negros, de aproximadamente 91% (Pnad).
No entanto, o UNICEF alerta que esses resultados não estão alcançando determinados grupos. Muitas crianças e adolescentes estão sendo deixados para trás em razão de sua raça ou etnia, condição física, social, gênero ou local de moradia.
Crianças indígenas, por exemplo, estão entre as mais vulneráveis. Elas têm duas vezes mais risco de morrer antes de completar 1 ano do que as outras crianças brasileiras e estão entre os grupos mais vulneráveis em áreas como educação.
Outro desafio apresentado pelo UNICEF é o da exclusão escolar. Mais de 3 milhões de crianças e adolescentes ainda estão fora da escola (Pnad, 2013). Os excluídos da educação representam exatamente as populações marginalizadas no País: são pobres, negros, indígenas e quilombolas. Muitos deixam a escola para trabalhar e contribuir com a renda familiar. Uma parcela tem algum tipo de deficiência. E grande parte vive nas periferias dos grandes centros urbanos, no Semiárido, na Amazônia e na zona rural.
A publicação também aponta como desafio a redução da mortalidade materna. O País ainda está longe de alcançar a meta do Objetivo de Desenvolvimento do Milênio 5, que estabeleceu o número de mortes diretamente ligadas à gravidez para 35 por 100 mil nascidos vivos. No Brasil, esse indicador é de 61,5 por 100 mil nascidos vivos, segundo estimativas de 2012 (Sistema de Informações sobre Mortalidade, 2011).
Para o UNICEF, a mais trágica das violações de direitos que afetam meninos e meninas brasileiros são os homicídios de adolescentes. De 1990 a 2013, passou de 5 mil para 10,5 mil casos ao ano (Datasus, 2013), um aumento de 110%. Isso significa que, em 2013, a cada dia, 28 crianças e adolescentes eram assassinados.
Dos adolescentes que morrem por causas externas no País, 36,5% são assassinados. Na população total, esse percentual é de 4,8%. (Homicídios na Adolescência no Brasil, 2015). Esse cenário perturbador coloca o Brasil em segundo lugar no ranking dos países com maior número de assassinatos de meninos e meninas de até 19 anos, atrás apenas da Nigéria (Hidden in Plain Sight, UNICEF, 2014).
“Analisando a trajetória desses 25 anos, podemos afirmar que o Brasil tomou a decisão certa em adotar o Estatuto” disse Gary Stahl, Representante do UNICEF no Brasil. “O Brasil precisa agora se focar nos mais excluídos. Para isso, são necessárias ações específicas, capazes de alcançar as crianças e os adolescentes que foram deixados para trás”.
O novo relatório do UNICEF também analisou o atual modelo de responsabilidade penal de adolescentes entre 12 e 18 anos. De acordo com a análise, a criação do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) foi um avanço nesses 25 anos. No entanto, o modelo de responsabilização de adolescentes não está sendo implementado de forma efetiva. Para o UNICEF, o País vive hoje a ameaça de retroceder o caminho que trilhou nos últimos 25 anos caso seja aprovada a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos.
“Aperfeiçoar o sistema socioeducativo, garantindo que ele ajude a interromper a trajetória do adolescente na prática do delito, é uma das tarefas mais importantes que o País tem diante de si”, diz o relatório.
O relatório #ECA25anos foi realizado com o apoio da ANDI – Comunicação e Direitos, uma organização da sociedade civil que atua há mais de 20 anos em defesa dos direitos de crianças e adolescentes por meio de ações na área de mídia e desenvolvimento.
O Estatuto da Criança e do Adolescente foi uma das primeiras leis no mundo a traduzir os princípios da Convenção sobre os Direitos da Criança, adotada um ano antes, e se tornou uma referência para outros países.
Sobre o UNICEF – O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) promove os direitos e o bem-estar de cada criança em tudo o que faz. Com seus parceiros, trabalha em 190 países e territórios para transformar esse compromisso em ações concretas que beneficiem todas as crianças, em qualquer parte do mundo, concentrando especialmente os nossos esforços para chegar às crianças mais vulneráveis e excluídas.
Fonte: http://www.unicef.org

Arraial Municipal de Placas - Segundo dia

No sábado dia 11 de Julho foi realizado o segundo dia do Arraial Municipal de Placas, a festa contou com a apresentação de vários Grupos culturais e uma grande váriedade de comidas e bebidas típicas que eram vendidas nas dezenas de barracas distribuídas do entorno do evento e uma animada pescaria a moda caipira.
Os alunos e professores da Turma da UFPA Educação no Campo realizaram neste evento uma oficina de exposição de produtos naturais e comidas típicas da região, na exposição foram apresentados cosméticos naturais, óleos, alimentos alternativos tais como o Mesocarpo e dezenas de outros produtos da região.
Mais uma vez a população compareceu em peso e o evento foi um sucesso de público e organização. A animação ficou por conta de nosso peso pesado Régis e Banda e Ricardão do Forró, sendo que a equipe de som foi a do Grilo Som Produções e de Regis e banda juntos, tudo genuinamente Placaense
Segundo informou a organização do evento, o resultado foi melhor que o esperado e superou as expectativas. Parabéns a todos, principalmente a população que brincou e se divertiu e fez esta festa ser realmente maravilhosa.